Charanga

Charanga de Ponta Delgada

  • História

    Existem registos na imprensa de que já em 1902 se estaria a formar uma "charanga" composta por bombeiros voluntários da cidade de Ponta Delgada, com "12 figuras" e que iria ser regida pelo Sr. Deodato Ramos. Em 1909, esta mesma charanga participaria numa festa organizada pela própria Associação a favor do seu Cofre, percorrendo as ruas da cidade e o porto da cidade. No entanto, em Junho de 1912, o Diário dos Açores publicava um pequeno anúncio que informava que estava a ser formada uma fanfarra para ser agregada à corporação dos bombeiros voluntários desta cidade, organizada por pessoas pertencentes ao comércio, que seriam inscritas como sócios da corporação.

    Tanto a banda de música, como o grupo de teatro cessaram as suas actividades durante o século XX, embora não saibamos quando precisamente. No entanto, em 1978 encontrámos uma referência à participação da charanga dos voluntários de Ponta Delgada nas comemorações do aniversário dos bombeiros faialenses, onde teria actuado com muito êxito. Na década de 80 do século XX, foram tomadas as providências para instituir, de novo, esta actividade no âmbito da Associação.

    Assim, o Presidente da Direcção de então, Manuel Andrade Ferreira de Almeida, enviou três cartas ao Director Regional dos Assuntos Culturais pedindo a autorização para reabrir as aulas de música, para reactivar a Banda de Música e providenciar um melhor equipamento à Fanfarra da Corporação.

    A carta relativa à fanfarra, datada a 30 de Dezembro de 1983, refere a dinamização das actividades dos elementos que compunham o Corpo Activo da Corporação e da ocupação dos seus tempos livres. Nessa altura, a fanfarra funcionava com a participação de jovens entre os 14 e os 18 anos de idade, que pertenciam ao escalão de cadetes. A carta pedia auxílio para "apetrechar a mesma com instrumental adequado à sua função, possibilitando a sua eficiência e abrindo perspectivas novas à própria Corporação, com as apresentações públicas e manifestações culturais". O pedido de concessão de novos instrumentos musicais ia no sentido da fanfarra poder apresentar-se publicamente no aniversário dos 105 anos da Associação.

    Num passado recente temos a noção de que a “Charanga“ foi a cara dos Bombeiros e o prestígio da Associação em todas as actividades que participou, das quais salientamos (aniversários da AHBVPD, formaturas, procissão do padroeiro da Associação " Senhor Santo Cristo dos Milagres", guardas de honra municipais e actividades culturais).

    Nota: Texto retirado do livro "Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada - 125 anos ao serviço da comunidade" (2004)
  • Viagens

    Nas ultimas duas décadas a Charanga teve o previlégio de representar a Associação fora da sua ilha:

    1979 - Vila Real de Santo António
    1984 - Ilha Terceira (Festas São Joaninas)
    1985 - Ilha de Santa Maria (Procissão de 5 de Agosto)
    1991 - Ilha Terceira (Dia Regional dos Bombeiros)
    1994 - Ilha do Pico (Dia Regional dos Bombeiros)
    1999 - Ilha de Santa Maria (Procissão de 15 de Agosto)
    2003 - Azambuja (Dia Regional dos Bombeiros - Zona Centro e Vale do Tejo)
    2003 - Ilha Terceira (Festas São Joaninas)
    2005 - Vila Nova de Ourém (Intercâmbio Juvenil)
  • Elementos

    Informação em actualização.